28 de jul de 2017

APÓS REPERCUSSÃO NEGATIVA, GOVERNO AFIRMA QUE NÃO PARCELARÁ SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DO DF.

Governo explica que conseguiu liberar verba retida do Fundo Constitucional e deve garantir pagamento dos salários de julho, sem parcelamentos


Funcionalismo público deve receber os salários normalmente, em agosto, de acordo com GDF.

Por Kleber Karpov

Após publicação de nota em um jornal local que afirmou que o GDF deve parcelar o pagamento de salários dos servidores públicos, Política Distrital (PD)foi acionado por vários trabalhadores para confirmar a notícia. A nota sugere ainda que as entidades sindicais estavam cientes do desconto.
PD conversou com diversos representantes de entidades sindicais e todos foram unânimes em negar a existência de comunicado oficial por parte do governo. Esse é o caso da presidente do Sindicato dos Professores do DF (SINPRO-DF), Rosilene Correia que criticou a postura da atual gestão do GDF de usar a mídia para avisar sobre as iniciativas do governo.
“O sindicato não recebeu essa informação oficialmente, o que temos conhecimento é através da imprensa, portanto, nós não temos a posição que o governo esteja informando a alguma categoria, ao menos não entendemos assim.
Diante de tanta desinformação, de tanta especulação, ao menos a gente espera que seja e não passe de especulação. Nós solicitamos uma reunião com o governo para tratar dessa pauta, para ter uma posição oficial. Esse governo tem a mania de comunicar as coisas por meio da imprensa como se não tivéssemos porta voz, não tivéssemos representantes legítimos. Mas  isso é inaceitável, para nós isso não passa de especulações pois é realmente o governo querer inviabilizar o restante de sua gestão que todos sabem muito bem que não está lá essas coisas então com isso ele quer realmente parar a máquina. Esperamos que isso não aconteça.”, disse Rosilene Correa.
Ainda segundo Rosilene, que torceu que não seja irresponsabilidade da imprensa, as entidades sindicais devem se reunir na próxima segunda-feira (31/Jul), para tratar, preventivamente dessa questão.
Após explicar que está em férias, para tratamento de saúde, o vice-presidente do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF (SINDATE-DF), Jorge Vianna também negou receber informação oficial sobre o parcelamento de salários e apontou a falta de prioridades por parte do governo.

A outra parte

Ao ser questionado, por meio da Assessoria de Comunicação da Casa Civil, o GDF afirma negou a possibilidade de efetuar parcelamentos de salários. O governo explica que obteve a liberação de recursos do Fundo Constitucional do DF (FCDF), até então retidos pelo Ministério do Planejamento. Dessa forma o GDF afirma que deve efetuar, normalmente, o pagamento do salários de julho, até o quinto dia útil de agosto.

Fonte.
Política Distrital.

Agora sabemos onde o dinheiro do fundo constitucional está sendo utilizado, por isso o governo vive afirmando que não tem recursos para conceder a reposição das perdas inflacionárias dos funcionários da segurança pública, ou seja, PM, CBM e PC,  corporações que tem o fundo constitucional como fonte mantenedora.




27 de jul de 2017

Se essa moda pega. Justiça manda pagar diferença salarial para Cb que exercia função de Sgt.

⚠⚠⚠⚠⚠⚠⚠⚠⚠
ASSESSORIA JURÍDICA DA APNM CONSEGUE NA JUSTIÇA DIFERENÇA SALARIAL PARA CABO QUE EXERCE FUNÇÃO DE SARGENTO

A Assessoria Jurídica da APNM - Associação dos Praças do Interior de Minas Gerais em Governador Valadares entrou com uma ação de cobrança em face do Estado onde no período de 2011 a 2013 o Cabo E. B. C. exerceu função privativa de Sargento no COPOM da 8 que não lhe foi paga gratificação de 
substituição temporária e seus reflexos nas demais verbas remuneratórias. 

Diante da intervenção do corpo jurídico através do Dr Márcio e Dr André o associado logrou êxito no seu pedido e teve a decisão proferida pelo juiz que condenou o Estado a pagar a diferença salarial e todas as vantagens referentes. 


Gestão Novo Tempo
Com Você Podemos Mais

GDF DIZ QUE VAI PARCELAR OS SALÁRIOS DOS SERVIDORES EM AGOSTO



GDF parcela os salários de servidores em agosto

Vai pagar, mas parcelado. O Governo do DF aderiu à modalidade dos estados falidos e também deve escalonar os salários dos servidores públicos já a partir do próximo mês. O governador Rodrigo Rollemberg já teria até avisado aos mais chegados que pretende pagar 80% dos vencimentos de agosto no quinto dia útil do mês de setembro e o restante no dia 20.

Dificuldades financeiras

Oficialmente, o Palácio do Buriti diz que não há decisão tomada a esse respeito. Mas concorda que todo fim de mês as dificuldades são grandes para juntar o dinheiro e quitar a folha dos servidores. Uma sinalização neste sentido ainda dependeria dos resultados da arrecadação e de repasse de recursos federais.

Sindicalistas cientes

O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, disse a representantes das categorias da Polícia Civil do DF, ontem, que os tempos são austeros. “Neste segundo semestre, se não for tomada uma atitude, os salários correm risco. É preciso ter precaução”, disse o deputado, depois da reunião. No Buriti e na Secretaria de Fazenda, só se fala na dureza que tem sido pagar salário nesta gestão.


Fonte.
Jornal de Brasília.
Agência Brasil   
27 DE JULHO DE 2017.

26 de jul de 2017

Governo quer economizar R$ 11 bi com adiamento de reajuste

Governo quer economizar R$ 11 bi com adiamento de reajuste a servidores
Com as contas públicas em frangalhos (o rombo no primeiro semestre chegou a R$ 56 milhões), o governo está raspando o tacho e tentando revisar uma série de gastos. Segundo a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, está em estudo a possibilidade de o Ministério do Planejamento adiar, de janeiro para julho de 2018, o pagamento de mais uma parcela de reajuste aos servidores públicos. Os cálculos iniciais apontam para uma economia de R$ 11 bilhões nesses seis meses de adiamento. O reajuste total no ano que vem passará de R$ 22 bilhões.
“O que está em lista para ser estudado, dentro de um contexto de revisão de despesas obrigatórias, é a prorrogação dos reajustes concedidos no ano passado, visando um prazo maior de tempo, de quatro anos”, disse Ana Paula. Isso quer dizer que, também a parcela de reajuste de 2019 poderá ser adiada. Os acordos firmados com os servidores para aumento de salários vão de 2016 a 2019. No total, os aumentos custarão mais de R$ 100 bilhões.
O governo sabe que será uma guerra convencer os servidores a esperarem mais seis meses para receberem o que foi acertado com o Planejamento e aprovado pelo Congresso. Mas tentará convencer as categorias contempladas com reajustes que o momento é dramático para as contas públicas. Não há dinheiro sequer para bancar serviços essenciais. O risco de apagão da máquina é real. O assunto será tema de uma conversa entre os ministros do Planejamento, Dyogo Oliveira, e da Fazenda, Henrique Meirelles, amanhã.
“O que pode se discutir, está se discutindo, é a postergação de um reajuste aprovado em lei. Uma prorrogação em alguns meses, em algum período. Existe uma hipótese sobre esse adiamento que pode vir a ser estudado nesses termos. É algo que é possível de ser estudado dentro de um contexto de revisão de despesas obrigatórias”, afirmou a secretária do Tesouro.
Muitos estão céticos. Assim como não enfrentou os servidores durante as negociações salariais, temendo represálias, é difícil acreditar que o governo fará isso agora, com o presidente Michel Temer superfragilizado, correndo o risco de perder o mandato. As corporações são muito organizadas e têm forte influência no Congresso, onde o peemedebista precisa acumular apoio para barrar a denúncia contra ele de corrupção passiva feita pela Procuradoria-Geral da República.
Pelos movimentos iniciais, os servidores criarão muita dificuldade para aceitar a proposta do governo. Na verdade, em vez de adiar o recebimento dos reajustes, eles estão pedindo mais aumento. O carreirão, por exemplo, que reúne a base do funcionalismo, está pedindo equiparação com a elite do serviço público. O carreirão fechou acordo para aumento de 10,8% em dois anos, 2016 e 2017. Eles querem elevar esse ganho para pelo menos 27,8%, com mais dois anos de reajustes, até 2016. Essa fatura pode custar até R$ 16 bilhões ao governo.

Fonte.
Blog. do Vicente.
 Publicado em 26/07/2017 - 15:13 Nunes Economia

Hamilton Ferrari E Rosana Hessel.

Bope, com orgulho e amor em salvar vidas.


O BOPE, a espiritualidade e a condição humana


Eu e Marco Tulio Zanini, estudamos o BOPE desde 2011. Escolhemos estudar esse batalhão para compreender como conseguiram constituir equipes de alto desempenho frente a tanta adversidade. É um tema de interesse em gestão pública e somos professores e pesquisadores na área. Em termos de gestão, o BOPE é considerado uma CAO: critical action organization, em inglês, em que qualquer erro pode ser fatal.
Publicamos o nosso primeiro livro sobre o tema em 2014. Escolhemos uma CAO para estudar o papel da confiança em casos extremos. Temos outros artigos acadêmicos sobre o tema.
Acabamos de submeter um paper acadêmico para publicação próxima sobre a questão da espiritualidade no batalhão. Não incluímos esse tema no livro, porque era de tanta sutileza e complexidade que demandava uma analise antropológica mais robusta. E me impressionou a forma leviana com a qual o tema foi tratado na folha de São Paulo.
A questão da espiritualidade existe na tropa. Por uma questão simples: como conviver com a morte, o mal, o crime, a covardia, a injustiça, a tortura de menores por bandidos, a vitimização dos inocentes nas comunidades, uma rotina de trabalho marcada pela violência e pelo risco de vida mantendo a saúde mental? Como lidar com uma rotina tão dura, com tanto risco pessoal e profissional, e perseverar na tarefa? Por que não desistem e mudam de emprego? O que os faz ir para o trabalho todos os dias? Qual é a fonte da sua motivação? Eram algumas das perguntas que buscávamos responder para entender os desafios da gestão pública nessa área.

 Já são 91 policiais mortos. E quem esta nessa profissão tem como rotina ir ao enterro de colegas jovens e ver nesses as viúvas com seus filhos pequenos, agora órfãos. Conhecemos alguns desses. Saem de casa para trabalhar todos os dias, como dizem eles, “sem flores para recebê-los! É só bala”! Vêem o retorno da insegurança e da violência e a desconstrução de muito do que fizeram nos últimos anos. Há não muito tempo atrás, conversamos com a liderança do Batalhão sobre um programa para a preparação do BOPE para paz.... quando sonhávamos que a politica publica de segurança daria certo e a tropa teria apenas uma função de manutenção dessa. Nos surpreende uma matéria de jornal que dá a entender que há algo do tipo “Ceita” se formando no interior da unidade. Que lança uma fagulha de desconfiança de que ali alguns loucos usam a religião para justificar a morte. E atiça o medo e a desconfiança sobre uma tropa que é referencia mundial naquilo que faz e onde pessoas como eu e você trabalham duro para fazer a coisa certa, com um volume enorme de dificuldades e muita falta de apoio.
O símbolo do BOPE nada tem a ver com uma imagem Cristã. Foi concebido pelo coronel Almendola, um dos fundadores da unidade, nos idos anos de 1978, que nos deu uma longa entrevista sobre a razão pela qual era importante ter um símbolo e porque esse símbolo: o espirito de corpo é o que garante que um soldado não deixara o outro ferido no campo de batalha. O sentimento de unidade, de identidade e o senso de missão é o que precisa orientar a ação. Um soldado sozinho é vitima fácil. Uma equipe bem treinada é a espada da lei.  A caveira é um símbolo antigo nas organizações militares. A faca na caveira simboliza vitória sobre a morte. E esta relacionada diretamente ao objetivo de realizar as operações sem nenhuma morte: nem do policial. Nem dos cidadãos no entorno. Nem dos bandidos, que devem ser levados à justiça. Cumprir a lei, para eles, é zelar por esse ideal. O treinamento duro tem por objetivo retomar o território que esta sob o domínio do crime, permitir a ação do Estado e o domínio da lei, e instaurar a paz. Para isso, o controle da agressividade, a busca incessante pela excelência, o treinamento robusto, a busca constante por identificar quem possa manchar esse ideal e afastar do grupo faz parte de esforço continuo. O circulo vermelho é a força da lealdade, que é o que garante a vida de cada um.  As duas garruchas cruzadas são o símbolo da Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro. O formato da faca não é referencia à cruz. É uma arma de batalha. Nem o vermelho é uma referência ao sangue de Cristo.

            Sim. Eles rezam. Se sua vida corresse risco diário talvez você também o fizesse. E sim, eles sabem que podem errar. E que quando isso acontece, as consequências podem ser terríveis. É preciso rezar por isso também. É preciso rezar para ter forças e perseverar na luta contra o crime. Para não ser atingido por balas ao longo da rotina diária de trabalho. Para tolerar o volume de maldades que veem diariamente. Para conseguir voltar para cada e ser um pai e um marido normal. E para ir a tanto enterro de colegas de trabalho.
            Agora: nesses 6 anos de estudo no Batalhão, nunca vimos, em nenhuma circunstancia, alguém usar versículos para justificar letalidades. Nunca vimos também a “exclusividade de evangélicos”. Não falamos da espiritualidade de maneira leviana nos nossos escritos. Entendemos, com Viktor Frankl, que a busca do sentido é fundamental para a saúde mental e para dar-lhes força para perseverar em uma profissão que lhes impõe tantos riscos. E entendemos que esse é o caso dos policiais do BOPE. Que como tantos outros estão com suas vidas em risco para defender a nossa.

Carmem Miqueles.

CONTRAN APROVA CARTEIRA DE HABILITAÇÃO DIGITAL

Contran aprova carteira de habilitação digital
Documento poderá ser apresentado em smartphones a partir de fevereiro próximo, diz Ministério das Cidades. Versão impressa continuará sendo emitida.



Contran aprova CNH digital (Foto: TV Globo)

A Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNH-e) foi aprovada nesta terça-feira (25) pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Segundo o Ministério das Cidades, ela será uma versão do documento com o mesmo valor jurídico da CNH impressa e estará disponível a partir de fevereiro próximo.
Os motoristas poderão apresentar o documento de porte obrigatório tanto impresso quanto em formato digital, no smartphone.
O ministério afirma que há um conjunto de padrões técnicos para suportar um sistema criptográfico que assegura a validade do documento. A autenticidade da CNH digital poderá ser comprovada pela assinatura com certificado digital do emissor ou com a leitura de um QRCode.
Com esse dispositivo, os agentes de trânsito também poderão consultar os dados dos documentos por meio de um aplicativo de celular, que ainda está em fase de testes. O app fará a leitura do QRCode, como já é realizado com a CNH impressa.
"Com isso, quem esquece a CNH em casa não estará sujeito a multa e pontos na carteira. Basta apresentar o documento digital”diz o ministro das Cidades, Bruno Araújo.
O Contran ressalta que a CNH impressa continuará sendo emitida normalmente.
Como vai funcionar
• Cadastro - O usuário realizará o cadastro no Portal de Serviço do Denatran e confirma seu e-mail com o uso de certificado digital. Para isso, o acesso deve ser efetuado por um equipamento que permite o uso desse certificado; ou por meio do seu e-mail, no balcão do Detran.
• Ativação do cadastro - Será enviado um link para o email informado. Em seguida, o motorista deverá realizar o login pelo aparelho onde deseja ter sua CNH digital.
• Segurança - No primeiro acesso, será preciso criar um PIN (código) para armazenar os documentos com segurança. Será preciso inserir o PIN criado para poder visualizar os documentos.
• Bloqueio – Caso necessite bloquear o aparelho para impedir o uso de sua conta e acesso aos seus documentos, o usuário deve acessar o Portal de serviços do Denatran com o certificado digital e solicitar o bloqueio.


Fonte. Jornal do Estado MT.
quarta-feira, 26 de julho de 2017


PROMOÇÃO CALDAS NOVAS.
ÚLTIMA SEMANA DE FÉRIAS, aproveite nossa promoção e venha para caldas novas com sua família.
hospedagem para até cinco pessoas com direito a entradas no clube.
Te.. zap 61-984280794. Ricardo Pato.








25 de jul de 2017

Juiz do DF manda suspender decreto que aumentou tributos sobre combustíveis


O governo começa e enfrentar uma grande batalha jurídica por causa do aumento do PIS e da Cofins que incidem sobre os combustíveis. O juiz substituto Renato Borelli, da 20ª Vara Federal de Brasília, determinou a suspensão imediata do decreto lançado pelo governo na semana passada. O aumento dos impostos já foi repassado integralmente aos consumidores, que estão pagando quase R$ 4 pelo litro da gasolina no Distrito Federal. O Aumento foi anunciado pelo governo na semana passada e atingiu gasolina, etanol e diesel. AGU diz que vai recorrer da decisão.A meta do governo é arrecadar R$ 10,4 bilhões com a elevação de tributos até o fim do ano para cumprir a meta fiscal, de deficit de até R$ 139 bilhões neste ano. Sem esses recursos, a equipe econômica terá que ampliar a perspectiva de rombo nas contas públicas, o que provocará instabilidade no mercado financeiro. O aumento do PIS/Cofins bateu em cheio na gasolina, no diesel e no etanol.

O juiz substituto Renato Borelli, da 20ª Vara Federal de Brasília, determinou nesta terça-feira (25) a suspensão imediata do decreto publicado na semana passada pelo governo e que elevou a alíquota de PIS/Cofins que incide sobre a gasolina, o diesel e o etanol.
Procurada, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que vai recorrer da decisão assim que for notificada.
A decisão liminar (provisória) vale para todo o país e atendeu a pedido feito em uma ação popular, movida pelo advogado Carlos Alexandre Klomfahs.
Apesar de determinar a suspensão imediata do decreto, tecnicamente a decisão só vale quando o governo for notificado. A decisão também determina o retorno dos preços dos combustíveis.
O aumento começou a valer na sexta (21). Segundo o governo, a tributação sobre a gasolina subiu R$ 0,41 por litro e mais que dobrou: passou a custar aos motoristas R$ 0,89 para cada litro de gasolina, se levada em consideração também a incidência da Cide, que é de R$ 0,10 por litro.
A tributação sobre o diesel subiu em R$ 0,21 e ficou em R$ 0,46 por litro do combustível. Já a tributação sobre o etanol subiu R$ 0,20 por litro.
Borelli aponta que a decisão do governo de elevar a tributação sobre os combustíveis via decreto é inconstitucional. De acordo com o juiz federal, "o instrumento legislativo adequado à criação e à majoração do tributo é, sem exceção, a Lei, não se prestando a tais objetivos outras espécies legislativas."
Ele aponta que a medida do governo prejudica o consumidor e não respeitou o princípio segundo o qual nenhum tributo será cobrado antes de noventa dias da publicação da lei que o instituiu ou aumentou.
"Não pode o Governo Federal, portanto, sob a justificativa da arrecadação, violar a Constituição Federal, isto é, violar os princípios constitucionais, que são os instrumentos dos Direitos Humanos", afirma Borelli na decisão.
Contas públicas no vermelho
Com o aumento da tributação sobre os combustíveis, o governo espera uma receita adicional de R$ 10,4 bilhões no restante de 2017. O objetivo da medida foi elevar a arrecadação federal, que neste ano tem ficado abaixo da esperada.
Por conta da baixa arrecadação, o governo enfrenta dificuldades para cumprir a meta fiscal deste ano, que é de déficit (despesas maiores que receitas) de R$ 139 bilhões.
Junto com o aumento na tributação dos combustíveis, o governo anunciou o bloqueio de R$ 5,9 bilhões do orçamento de 2017.
De acordo com a Receita Federal, no primeiro semestre a arrecadação cresceu 0,77%. O resultado positivo, porém, se deu pelo aumento das receitas do governo com royalties pagos por empresas que exploram petróleo no país - a receita com impostos e contribuições caiu 0,20% no período.

Fonte.
Por Mariana Oliveira, TV Globo, Brasília

25/07/2017 12h22  Atualizado há 3 horas

GDF entrega novos coletes à prova de bala para Polícia Militar

GDF entrega novos coletes à prova de bala para Polícia Militar
Ao todo, foram licitados 11 mil coletes, que custaram entre R$ 996 e R$ 1466



https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2Fapp2.correiobraziliense.com.br%2Faccess%2Fnoticia_127983242361%2F611983%2F63%2Feq.gif&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F*O primeiro lote dos novos coletes balísticos, com 3 mil itens, foi entregue à Polícia Militar (PMDF) na tarde desta segunda-feira (24/7). A compra foi feita pelo Governo do Distrito Federal. Ao todo, foram licitados 11 mil coletes, que custaram entre R$ 996 e R$ 1466. 

O segundo lote, com mais de dois mil coletes, está previsto para ser entregue em outubro. O restante está em processo de empenho e será entregue nos próximos meses. Em novembro, a Polícia Militar licitou a compra de 11,5 mil coletes à prova de balas para os integrantes da corporação. Parte dos equipamentos de proteção dos militares estava vencida há mais de seis meses. O custo total foi de R$ 11,9 milhões. 
Em primeiro momento, os novos coletes serão entregues estrategicamente para militares que trabalham na parte operacional, ou seja, atuando nas ruas do DF. Os que atuam na parte administrativa, devem receber as peças assim, que for entregue o segundo lote. A intenção da corporação é distribuir um colete para cada militar. 

Modelo
De acordo com a corporação, os novos acessórios são mais resistentes e leves que os anteriores e possuem tecnologia moderna. Os equipamentos contam com proteção balística nível III A, capaz de proteger contra disparos de até 9mm, e 44 magnum dentre outros. Para atender todos os militares, foram adquiridos coletes no tamanhos P, M e G, em modelos feminino e masculino.
Os coletes foram testados de acordo com as normas internacionais preconizadas no National Institute of Justice (NIJ), segundo critérios como permitir temperaturas extremas de calor, frio, baixa e alta umidade. Durante os teste, foram realizados disparos com diferentes calibres, prevendo todas as circunstâncias em que o produto poderá ser utilizado e comprovando a sua eficácia.

Problema antigo
Em agosto passado, as polícias Civil e Militar ameaçaram parar próximo ao início das Olimpíadas na capital federal. A Polícia Civil (PCDF) chegou a cruzar os braços por 48h para pressionar o governo a conceder reajuste salarial de até 37%, o mesmo garantido à Polícia Federal. 
Além disso, os policiais denunciaram o uso de armas defeituosas e coletes vencidos.

Fonte.
Postado em 24/07/2017 10:52 / atualizado em 24/07/2017 18:44
Correio Braziliense.

Comentário:
Reivindicações por melhores condições de trabalho para os policiais militares do DF, vem sendo cobrada há anos pelo FÓRUM DAS ASSOCIAÇÕES, ao Governo Local e ao Comando da Corporação, parte das reivindicações estão sendo atendidas, mas, ainda há muito caminho a ser percorrido, pois, nossos policiais estão desestimulados por estarem sem promoção, vendo seus salários sendo corroídos pela infração onde já se passaram três anos sem a reposição das perdas inflacionárias, fato que tem levado nossos policiais aposentados a procurarem outras fontes de rendas para complementarem suas despesas familiares, afinal, nossos reservistas não tem promoções, auxílio fardamento, perdem o auxílio alimentação, não tem direito a tirarem serviços voluntários, ou seja, vivem de seus proventos. 



MARCHA NACIONAL PELA VIDA DOS POLICIAIS MILITARES



No último domingo dia 23 de julho de 2017 foi realizada em Brasília A MARCHA NACIONAL PELA VIDA DOS POLICIAIS MILITARES. O evento serviu para chamar a atenção das nossas autoridades pelo número crescente de mortes de policiais militares que vem só aumentando no Brasil. No Rio de Janeiro O número de mortos em ações policiais subiu 78% nos dois primeiros meses deste ano, de 102 para 182, em relação ao mesmo período de 2016.
Os dados são do Instituto de Segurança Pública (ISP), do Estado, e foram divulgados nesta semana. Essa é uma estatística que não agrada ao seguimento da segurança pública brasileira e deixa a população órfã dos heróis nacionais e guardiões da sociedade. A morte dos policiais tem ocorrido em grande escala por falta de investimento nas policiais militares do Brasil. Em Brasília mesmo com o Fundo Constitucional, a situação não é diferente dos demais estados, os policiais não tem estímulos a trabalhar, promoções travadas, três anos sem ter as reposições das perdas inflacionárias repostas em seus vencimentos, equipamentos ultrapassados, viaturas com prazo de validade vencidas, enfim, a população agoniza por segurança e a segurança pública clama por socorro.
Por Ricardo Pato.





.


21 de jul de 2017

FORD LANÇA PRIMEIRA PICAPE CRIADA PARA PERSEGUIÇÕES POLICIAIS


FORD LANÇA PRIMEIRA PICAPE CRIADA PARA PERSEGUIÇÕES POLICIAIS


F-150 Responder tem o selo pursuit-rated reservado aos veículos de patrulha de maior desempenho

Ford apresentou nos Estados Unidos a sua primeira picape policial criada para perseguições, a F-150 Responder. Isso quer dizer que ela pode ir além do ritmo de patrulha e ser dirigida em altas velocidades sem desgastes ou superaquecimento. É o chamado pursuit-rated, um selo voltado para carros de perseguição. Uma evolução diante do antigo papel de veículo de apoio.
Líder no enorme mercado de carros de patrulha no país norte-americano, o fabricante sabe que não é só o público privado que passou a comprar utilitários e picapes loucamente. O veículo policial mais vendido da atualidade não é a versão Police Interceptor do Taurus, como seria de se esperar há apenas alguns anos atrás, e sim a mesma variante do Explorer. O SUV grande tem mais de 50% do segmento policial.  

A fabricante escolheu uma versão com o motor V6 3.5 EcoBoost com turbo e injeção direta. Com 380 cv e 63,7 kgfm de torque, o seis cilindros não deixa saudade dos antigos V8 dos Crow Victoria. A transmissão automática tem dez marchas e pode ser ajustada em quatro modos: reboque, neve, econômico e esportivo. A preparação vai além do motor forte e inclui pastilhas de freio mais resistentes ao desgaste. 


TRAÇÃO 4X4 TEMPORÁRIA COM REDUZIDA E AUTOBLOCANTE DÃO VALENTIA AO UTILITÁRIO POLICIAL (FOTO: DIVULGAÇÃO)

De nada adiantaria uma picape policial sem capacidade offroad. A F-150 Responder tem tração 4X4 temporária com reduzida e recebeu ainda o pacote lameiro FX4, que inclui diferencial traseiro autoblocante e placas de proteção no assoalho para proteger os componentes mecânicos em um fora de estrada mais pesado. 
Ao contrário do imaginário, um carro de patrulha passa a maior parte da sua vida com o motor girando e o veículo parado em um determinado lugar. Como uma maneira de contabilizar as horas em que o V6 ficará girando e o hodômetro parado, há um contador específico para essa tarefa. Em um antigo Crown Victoria, cada hora parada com o motor ligado correspondia a 53 km dirigindo em termos de desgaste. O velocímetro também tem escala que privilegia a visualização de velocidades mais baixas, na medida para os ritmos lentos de patrulha. 



Tudo é pensado para a tarefa de patrulhar. Os bancos dianteiros têm abas mais estreitas para permitir que os policiais sentem-se confortavelmente mesmo usando cintos cheios de apetrechos, além de placas de metal no encosto para evitar ferimentos causados por um eventual preso no assento traseiro. A alavanca de câmbio tem que ser na coluna de direção, uma exigência motivada pela necessidade de se instalar um rádio comunicador no console central.
Para aturar a quantidade enorme de aparelhos eletrônicos como rádio e computador, o sistema elétrico conta com um alternador de 240V. A resistência do habitáculo a impactos também obedece a um parâmetro mais rígido de testes e tem que aguentar uma batida traseira a 125 km/h.
O lado utilitário é preservado: a capacidade de carga total é de 920 kg e a caçamba tem protetor em fibra de vidro integrado ao desenho do carro. Sem falar que a F-150 consegue rebocar 3.010 kg, ou seja, está mais do que preparada também para o serviço de apoio.





CBMDF DÁ FLUIDEZ NA CARREIRA DA PRAÇA LIBERANDO SEGUNDO CAP E CAEP NO ANO

CBMDF DÁ FLUIDEZ NA CARREIRA DA PRAÇA LIBERANDO SEGUNDO CAP E CAEP NO ANO


O Boletim interno do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal desta sexta-feira(21) trouxe a publicação de uma comissão que ira analisar a designação dos critérios para preenchimento de vagas no curso da carreiras das praças,  para o segundo semestre de 2017.

A publicação com ato do Comando atende um velho pedido da tropa que seria a realização dos cursos CAP e CAEP no 1º e 2º semestre de cada ano, o boletim também trouxe a formulação de uma paridade que estabelece os critérios para preenchimento dos cursos de carreira.

Não podemos esquecer da Diretoria de Gestão Pessoal - DIGEP, que não mediu esforços para fazer que este ato tornasse realidade, o que traduz a união entre os Bombeiros Militares que podem construir um futuro melhor para o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito federal.

20 de jul de 2017

Sinpol impetra ação na justiça contra Ordem de Missão da PCDF - evento "NA PRAIA"*

*Sinpol impetra ação na justiça contra Ordem de Missão da PCDF - evento "NA PRAIA"*

O Sinpol, na defesa dos seus filiados, por meio de sua assessoria jurídica, impetrou nesta segunda, 17/07,  uma Ação Declaratória,  com pedido de urgência, contra o GDF.

A demanda judicial é para cassar os efeitos da OM 15/17 da PCDF, que escala policiais civis para fazer serviços de policiamento ostensivo,  em evento particular denominado de "Na praia".

O Diretor da PCDF emitiu a OM 15/17-PCDF, que tem como objetivo escalar policiais civis para trabalharem de forma a prevenir crimes no evento particular Na Praia. A prevenção é papel da PMDF.

A diretoria do sindicato entendeu que o Diretor Geral da PCDF está sacrificando, o já baixo efetivo de  policiais civis para fazer serviços que são atribuição de outra força policial e não da PCDF e de seus policiais.

Não conseguimos entender como  a direção da PCDF procura escalar seus servidores para trabalhar em um evento particular, e ainda, mais grave: pra fazer serviços que não são da PCDF, tirando nossos policiais da atividade fim que é a investigação.

No dia 18/07, a juíza para quem a ação foi distribuída, deu 48 horas para que o GDF se manifeste sobre o objeto da ação, o qual deve pedir informações à direção da PCDF.

O sindicato soltou uma nota à imprensa informando tal situação e a Rede Globo, interessada em divulgar tais informações ligou para a DIVICOM/PCDF, a qual teria informado que a Ordem de Missão nº 15/17 seria apenas um boato circulando nas redes sociais.

Na tarde de hoje, 20/07, após algumas pesquisas, fomos surpreendidos com a retirada de todos os documentos, da intranet da PCDF, que faziam menção ao evento Na Praia.

Não sabemos qual o motivo para que isso fosse feito, tendo em vista que o evento na praia só se encerrará em agosto.

Sinpol-DF
Juntos Somos Fortes!

Comandante da PM defende prisão perpétua para assassinos de policiais

Este ano, 89 policiais militares já foram mortos no Rio, 11 a mais do que em todo o ano de 2016

METRÓPOLES/BRASIL


O comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Wolney Dias, defendeu nesta quarta-feira (19/7) penas mais severas para assassinos de policiais. “Quem atenta contra a vida de policiais atenta contra o Estado. Esse é um ato de terrorismo. Eu defendo penas muito severas”, disse o comandante durante o enterro de um policial morto na última segunda-feira (17). “Esse tipo de crime deveria ser [punido com] prisão perpétua”, acrescentou.
O soldado Thiago Marzola de Abreu foi assassinado com um tiro na cabeça na noite de segunda durante patrulhamento na Favela da Tida, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio. Este ano, 89 policiais militares já foram mortos no Rio, 11 a mais do que em todo o ano de 2016. O soldado deixou esposa e um filho de apenas 2 meses.
Prisão de suspeito de morte de policial
No começo da tarde de hoje, policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Mangueira, prenderam um homem suspeito de participação no ataque a policiais da UPP do Telégrafo no início da semana, que resultou na morte do cabo Bruno dos Santos Leonardo, de 29 anos, com um tiro de fuzil na cabeça e um tiro na perna.

O suspeito, de 22 anos, foi encontrado em uma casa na região conhecida como Buraco Quente após uma denúncia anônima e encaminhado à Divisão de Homicídios da Capital, que está investigando o caso. Segundo o comando da UPP, o homem foi reconhecido pela equipe que patrulhava a comunidade no dia da morte do cabo Bruno Leonardo. Na PM há seis anos, o cabo estava em seu primeiro dia de trabalho na Base Avançada do Telégrafo, que faz parte do Complexo da Mangueira.